quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Perdoar é amar, reaproximar é nobre...

Alguma vez você já se arrependeu por haver tomado uma decisão no calor do momento? E quando isso aconteceu você conseguiu voltar atrás, ou, simplesmente arcou com as consequências e seguiu em frente?
 
Depois de uma briga ou discussão você conseguiu deitar sua cabeça no travesseiro e ter um sono tranquilo e repousante? Conseguiu esquecer o semblante magoado da outra pessoa?
 
Sabe, às vezes fazemos coisas que lá no fundo não gostaríamos de ter feito, uma palavra mal colocada, um gesto meio rude, uma frase mal interpretada, uma ação desnecessária e pronto, bastou alguma coisa do gênero para nos deixar de mau humor e acabar com uma amizade, um passeio...
 
E quando a frase foi mal interpretada, não houve palavra rude, mas um passeio foi estragado? Qual a sua reação? Dar uma segunda chance? Ignorar, ou, jogar tudo para o alto?
 
Digamos que tenha tentado ignorar e dar alguma chance e mesmo assim, o erro persistiu... Qual seria a opção mais sensata?
 
E se por um tempo a decisão tomada surtiu efeito e você conseguiu acostumar-se a falta de interação com a pessoa, mas por um acaso da vida se esbarrassem novamente houvesse um pedido de desculpas juntamente com uma proposta de começar do zero? O que você faria?
 
Conseguiria voltar ao início quando nada disso havia acontecido, ou, seu coração estaria tão magoado a ponto de não conseguir esquecer um tolo mal entendido?
 
O que prefere... Reatar a amizade, ou, envenenar-se aos poucos até tornar-se uma pessoa amarga e taciturna por não haver feito o que era certo e esperado de se fazer?
 
Depois, ao olhar para trás verá que perdeu um tempo precioso alimentando picuinha ao invés de aproveitar e desfrutar de uma boa amizade e quando notar que o tempo não volta e com ele a esperança de uma próxima oportunidade perceberá o quanto foi imatura e egoísta.
 
As pessoas são diferentes, pensa diferente e age diferente, nem sempre nos chateiam por querer, na maioria das vezes não percebem a tolice que estão fazendo, cabendo a nós a decisão de “ignorar” ou na pior das hipóteses: desfazer a amizade.
 
E se um dia como outro qualquer você receber um torpedo fofo justamente desta pessoa lembrando-se de você por algum motivo? Qual sua reação? Espanto? Surpresa? Alegria? Tristeza?
 
Pense nisso:
 
“Assim como os perfumes alegram a vida, a amizade sincera dá ânimo para viver”. Provérbios 27.9
 
É sempre bom dar mais uma chance e perdoar, afinal de contas amigos que optam por se reaproximar são realmente únicos...