quinta-feira, 28 de julho de 2016

Garotas de vidro - Laurie Halse Anderson

Olha eu aqui outra vez!!!!! Voltei com minhas resenhas povo rs... Estava meio ocupada, mas esta resenha estava pronta fazia tanto tempo que acabei encontrando um tempinho para digitá-la e só estou postando agora, ok?

Distúrbios alimentares são realmente perigosos. Cassie lutava contra a bulimia desde os 11 anos, o que leva uma garota tão nova se matar aos poucos?

Lia é sua melhor amiga e vizinha e possuem praticamente a mesma idade, a única diferença entre elas é que Lia é anoréxica. Ela sabe todas as calorias de todas as comidas possíveis e cada dia reduz mais a quantidade de alimentos chegando a tomar muita água pela manhã e comer apenas uma maçã no almoço.

Para piorar, quando Lia recebe a notícia de que o corpo de Cassandra foi encontrado em um motel seu mundo vira de cabeça para baixo, e qual a causa da morte? Garganta rasgada de tanta pressão feita com os dedos para forçar a saída dos alimentos ingeridos.

O livro em si é fantástico! Quando eu soube que era similar ao livro da Gayle "Eu esttive aqui" precisei ler imediatamente, aliás tem outro na mesma linha que amo e se chama "Antes que eu vá" da Lauren Oliver, resenha aqui.

É muito triste "entender" o que se passa na cabeça de pessoas que sofrem de distúrbios alimentares. Lia assim como muitas outras consegue enganar os pais fingindo se alimentar, sofre alucinações horríveis enquanto reclama de dores terríveis no estômago por falta de alimentos. O pior é que ela adora o cheiro da batata frita, mas em sua cabeça vive uma constante punição por não estar pesando míseros 40 quilos e quando ela finalmente chega à sua meta reduz ainda mais a quantidade de alimentos sempre complementados por laxantes poderosos que ela esconde em seu armário. Costuma usar roupas largas para colocar várias peças por baixo e tentar disfarçar sua magreza, o mais triste em tudo isso é  a alternativa que ela adota para mascarar a dor no estômago: a automutilação. Conforme ela faz os cortes pelo corpo para sentir dor se lembra de que não pode se alimentar, que não deve perder esta batalha como Cassie perdeu.

Acha que os pais a maltratam por forçá-la a comer. Não dorme direito e constantemente acha que vai desmaiar. A mente de uma pessoa assim é perigosa, enganosa e cruel, não mostra a realidade e por falta de informação muitas pessoas acabam perdendo a vida.

Não tem como resenhar este livro, é preciso ler com calma para tentar entender um pouco da mente doentia de Lia. é uma verdadeira guerra, ela luta consigo mesma 48 horas por dia todos os 7 dias da semana.

Se você conhece alguém que esteja passando por algo similar, precisa ter paciência e ajudar, é muito triste uma pessoa se deteriorar aos poucos e causar tanta dor nas pessoas que estão à sua volta. É triste a pessoa sentir fome, o estômago roncar e mesmo assim não se alimentar porque a visão que ela tem de si é que está muito acima de seu peso... 

Leia "Garotas de vidro" e dê graças a Deus pelos quilos a mais que acha que tem, você não faz idéia do tormento que é enxergar coisas que não existem.

Recomendadíssimo!!!

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Feliz dia do Escritor \o/

 FELIZ, FELIZ, FELIZ!!!

Fui citada em um texto no site do servidor, no mesmo texto que o Secretário da Educação José Renato Nalini também foi... Abaixo o texto na íntegra ;)

"Para comemorar o Dia Nacional do Escritor, que acontece no próximo dia 25 de julho, a Intranet Espaço Servidor vai sortear onze exemplares de livros de autores-servidores da Secretaria da Educação, sendo seis deles escritos pelo Secretário da Educação, Renato Nalini. A inscrição para o sorteio pode ser feita até o dia 24 de julho, e o resultado será divulgado na segunda-feira (25), Dia Nacional do Escritor.  

A criação da data para homenagear todos os escritores do Brasil, surgiu a partir do I Festival do Escritor Brasileiro, organizado na década de 1960 pela União Brasileira de Escritores. O festival foi realizado em um shopping center no bairro carioca de Copacabana e reuniu cerca de 170 autores de todo o País. O evento foi resultado da iniciativa do então presidente da UBE, João Peregrino Junior, contista e ensaísta, e de seu vice-presidente, Jorge Amado, um dos mais influentes nomes de nossa literatura. 

Para Wilson Levy, autor do livro "Teoria Democrática e Reconhecimento", um bom escritor é antes de tudo um bom leitor. "Para ser um bom leitor é preciso tratar o livro como uma outra pessoa. Há, portanto, uma relação de alteridade. Como um amigo, como um parceiro de trabalho ou como alguém que se deseja ter um relacionamento afetivo, ler é se deparar com o mistério da descoberta. Mistério que se ressignifica, página após página, tal como o terapeuta que desvenda a alma do paciente a cada sessão, que se apresenta na forma de uma curiosidade sobre o que motivou a narrativa, e sobre que traços do autor estão ali, à espera de serem desvelados". 

"O bom leitor – aquele que percebe este movimento – tem meio caminho andado para ser um bom escritor. Como tal, ele não despreza as regras que regem o bom vernáculo. E, sabedor dessa curiosidade atemporal que rege a relação entre escritores e leitores, elege o texto – do livro – como o intermediário para se desnudar diante do mundo. Não sem antes testar o olhar desse leitor, como se cada pequeno prazer vindo da leitura fosse uma somatória de recompensas pelo esforço despendido", completa Levy. Ele acredita que por trás de cada livro existe uma alma por ser descoberta e vista como um espelho da nossa alma. "Por trás de cada livro, um convite generoso para novas paragens, novos horizontes, novas vidas, novos sonhos, novos desejos, para os novos escritores", diz.

De acordo com o Secretário da Educação, Renato Nalini, ao escrever estamos nos mostrando por inteiro, ainda que tenhamos um percurso a seguir, que tenhamos planejado um roteiro. "Quando você percebe, a imaginação toma conta da sua missão e, a partir daí, você se redescobre, encontra facetas que ignorava ou não tinha consciência que possuía tamanha capacidade de percepção e aptidão para se exprimir. É como se você fosse buscar no recôndito da sua consciência, impressões que talvez não conseguisse verbalizar", diz.

Para a autora Mirian Fidelis Guimarães é preciso insistir para ser escritor. "Uma coisa que aprendi nesta caminhada árdua é que não se pode desistir, o mercado editorial é muito competitivo e injusto, livros maravilhosos são engavetados por falta de patrocínio. É uma indústria meio injusta, mas, agora, com auto publicações é muito simples publicar um livro. Não me arrependo de nada que aconteceu durante meu início, acho que tudo foi válido, aprendi muito e tenho aprendido mais a cada dia. Meu conselho para os novos escritores é: não desistam nunca"." 


segunda-feira, 11 de julho de 2016

Novidades!!!

Meus amores, mil perdões!!!!

Tenho resenhas para postar, mas estou sem tempo para digitar acredita?

"A Bonequinha Preta e outras histórias" finalmente está à venda pelo site do Clube de Autores.


"Narcisos" está praticamente pronto, falta apenas alguns detalhes e logo me enviarão a capa para eu aprovar e aprovando aí sim terei os dados para informá-los. Lançamento em breve em Volta Redonda \o/

Recebi mais uma resenha de "Nessie: o verdadeiro tesouro da Escócia!" no Skoob coisa que me deixou extremamente feliz!!!

Acho que esqueci de mostrar a resenha que recebi do Blog Sempre Romântica também no Skoob, aí vai rs...
Amanhã eu prometo postar pelo menos 1 resenha ok? Excelente início de semana para TODOS!!!

OBS: Ahhhh vocês viram que lá em cima agora tem uma abinha escrito "Lojinha"? É só clicar ali e vai direto para os locais onde meus livros estão à venda e tenho mais uma novidades rs... Agora eu também aceito cartão de crédito ;)