sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

O Morro dos Ventos Uivantes - Emily Brontë

Ok, sou suspeita! Todos que me conhecem sabem que já li este livro mais de dez vezes, que é o meu favorito e que tenho 3 versões do filme. A primeira versão de 1939 em preto e branco que só conta a história de Heathcliff e Cathy. A versão de 1992 fiel ao livro e que eu adoro, só alguns detalhes me incomodam, como os olhos dele (quem leu entenderá a alusão) e a de 2009 bem mais extensa. Boa, mas não a minha favorita rs...

Wuthering Heights é um clássico publicado em 1847. É uma história de amor e ódio tão intensa que muita coisa poderia ter sido revertida se suas personagens não fossem tão orgulhosas.

Heathcliff chega a família Earnshaw causando desconforto em todos, menos no patrão. Hindley o único filho homem odeia a criança cigana e suja que o Srº Earnshaw trouxera para casa depois de o encontrar perdido pelas ruas de Liverpool. O patrão o adorava, Cathy também, somente Hindley, sua mãe e os empregados o detestavam. O pobre cresceu desfrutando de todas as regalias como as outras crianças, até o dia em que o
patrão adoeceu e morreu e aí sua vida mudou drasticamente.


Dormia no estábulo, fora obrigado a parar de aprender a ler e escrever, mas Cathy o ensinava mesmo assim, eles tinham uma ligação muito forte. Ela o amava tão ferozmente que estava disposta a passar por cima de tudo e todos para ficarem juntos, só que em um dia, enquanto espiavam os Lintons pela janela o cachorro a mordeu e ela foi obrigada a passar alguns dias lá para sua recuperação.

Voltou mudada, em roupas caras, perfumada e completamente arrogante, se é que poderia tornar-se mais. Mandando nos criados e fazendo gozação com o estado imundo em que Heathcliff se encontrava. Ela havia conhecido Edgar Linton e reparado no contraste gritante entre ele e seu amigo. Ela queria ser rica, mas também queria ajudar Heathcliff. Ela o amava, já Edgar ela tolerava. Queria ser a senhora mais rica da região, mas não amava Linton. Ele tinha cabelos e olhos claros, era bonito e sua pele era delicada como de uma moça, já Heathcliff tinha os olhos negros e misteriosos, era viril, alto e de cabelos escuros e lisos como um cigano.

Casar-se com Linton a tornaria na mulher mais respeitável, casar-se com Heathcliff a rebaixaria já que Hindley o havia humilhado de todas as formas possíveis, o tornando em um trabalhador braçal, sem instrução e com péssimos hábitos.

E foi em uma noite chuvosa enquanto ela conversava com Nelly e esta fazia Hareton dormir, após a morte da de sua cunhada Francisca, que Catherine diz não ser ela, mas sim Heathcliff, que o amava com todas as forças e não suportaria viver sem aquele amor, mas que havia aceitado se casar com Edgar porque se casar com Heathcliff seria degradante demais.

Ele escuta esta declaração e foge no meio da chuva ficando longe por três longos e intermináveis anos. Quando ele retorna, encontra uma Catherine casada, rica, feliz e esnobe. O fato de Cathy e Heathcliff maltratarem Linton em sua própria casa e o provocar me irrita rs... O fato de Heathcliff casar-se com Isabella para provocar o irmão, engravidá-la e desprezá-la me irrita muito mais.

Ele era amargo, vil, astuto e sabia tirar proveito das pessoas se apossando de suas riquezas, porém não roubando, mas de certa forma tomando para si. O que machuca é pensar na pobre alma desesperada de Cathy, presa em sua cadeia de luxo feita por ela mesma e para quê? Ela nunca devia ter permitido Heathcliff se aproximar tanto quando retornou a Wuthering Heights, não devia ter deixado ele cuidar de Hareton transformando a criança no mesmo ser desprezível que ele era.

O amor doentio de ambos é asfixiante, não é natural. É destrutivo e por conta deste amor uma geração inteira é perdida. Se a criação de Heathcliff continuasse como era na época do patrão, creio que a história seria bem diferente, e ele e Cathy seriam felizes e não teriam a intromissão dos Linton, também se isto acontecesse a história não seria um clássico sendo lida até os dias de hoje e ganhando tantas versões cinematográficas.

Li depois a continuação, também mais de dez vezes escrita por Lin Haire-Sargeant “O retorno ao morro dos ventos uivantes” onde ela conta por onde ele andou durante os três anos em que esteve longe, como conseguiu sua riqueza e os modos de cavalheiro, vale muito conhecer esta história também. Como disse, sou suspeita, amo este livro <3

Minha versão preferida <3 Ralph Fiennes <3